quinta-feira, 19 de outubro de 2006

Agora sim...

Agora sim, totalmente sem rumo, sem destino
Em busca de um novo caminho
Para degustar como um bom vinho.
Agora sim, na incerteza de um resultado
Na esperança de um novo passo
Alcançar o novo, o melhor, o acaso.
Agora sim, como a folha ao vento
Sem fronteiras, sem desperdícios
Mergulhar a alma num novo início.

Um comentário:

Ery Roberto disse...

Eritânia, que gostoso este reencontro. Você havia deixado muita saudade ao abandonar o blog. É muito bom saber que voltou e, como sempre, com delícias de textos e belas poesias. Fiquei feliz com sua visita e aqui retornarei sempre. Um beijo.